sábado, 28 de janeiro de 2012

Que graça!

Depois da intensidade da arte de Rodin, voltemos para ver, através de um passeio por fotos, mais um pouco da igrejinha da Graça. É um ambiente sereno, sombreado por seculares oitis, um lugar de pausa para contemplar, descansar ou simplesmente orar...

Chegamos à Avenida Princesa Leopoldina na parte alta...

...da Praça Dr. Patterson ou Largo da Graça

O destino é a igreja considerada a 1ª da Bahia

O recepcionista Joel recebe turistas e indica o que ver

Suporte de ferro de época para limpar o barro dos pés

A igrejinha ocupou o local onde originalmente Catarina Paraguassu erguera um nicho para a imagem da santa com a qual sonhara

Turistas, como a carioca Renata, se encantam e voltam para ver de novo a beleza do mosteiro...

...e olhar, no altar seiscentista, a imagem histórica, e a história de Paraguassú contada em pinturas no teto

Com sorte, o visitante pode chegar ao belo jardim interno...

...e também admirar a simplicidade elegante da sacristia

A Igreja e Abadia de Nossa Senhora da Graça, subordinada ao Mosteiro de São Bento, de Salvador, de acordo com a descrição à sua entrada, "apresenta forma primitiva de mosteiro beneditino, construído sob planta de Frei Gregório de Magalhães em 1645 e reconstruído no século 18". No entanto, há registros históricos de que no local já havia um oratório datado de 1530. É aberta à visitação. Veja, também, no flickr.

3 comentários:

Mônica Bichara disse...

Valeu, Sílvia! Sempre tive curiosidade de conhecer aquela igreja, mas nunca tive oportunidade. Adorei

Mariana disse...

Oi, Silvia! Morei 10 anos em frente a esta pracinha e nunca entrei pra conhecer a igreja, um absurdo! Sou baiana e moro na Argentina há 7 anos agora. Vi seu blog no site do Riq Freire, parabéns pelo lindo trabalho.

silvianasci disse...

Muito obrigada, meninas!
A igrejinha é, mesmo, encantadora.