quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Que tal, de ônibus?

Resolvi fazer o "test drive" completo da viagem de ônibus do Aeroporto até a Praça da Sé. Afinal, já conhecia meio percurso e indiquei o passeio, que custa R$ 3 (por pessoa) e passa pelas principais praias de Salvador. Na verdade, não é bem um passeio turístico, mas um ônibus de linha convencional, só que com carroceria diferenciada, bancos mais confortáveis (e em menor número), plataformas para o turista que desembarca colocar as bagagens e tarifa R$ 0,50 a mais que o coletivo comum em Salvador (que é de R$ 2,50).

Aí você dá uma boa risada e pensa: passeio em ônibus convencional um pouquinho melhorado? Aí eu dou uma risadinha e penso: é, companheiros e companheiras, e tem gente que faz, sim. Estamos agora na plataforma de desembarque do Aeroporto Internacional de Salvador Deputado Luís Eduardo Magalhães. Vou até uma das companhias de táxi e pergunto o valor da corrida Aeroporto-Praça da Sé (R$ 107,84) e sigo para o ponto. Antes, uma foto do itinerário pra que você se posicione no mapa da cidade e vou para o fim da fila, que, nesse dia e horário, estava pequena.


Ali encontro o advogado M. posando pra foto com uma latinha de refrigerante tendo o cuidado de esconder a marca, enquanto a companheira o clica. Vai passar uns dias em Madre de Deus, a 63 km de Salvador, e optou pelo ônibus. Pergunto se faz sempre assim. Nem sempre. Dessa vez, pela viagem longa e pelo preço que pagaria, optou por baldear aqui e ali e economizar. Turista tem uma simpatia ímpar. Antes de todos embarcarmos na nossa viagem de buzu (veja o dicionário de baianês pra entender) ainda ouvi uma orientação jurídica de graça sobre o blog.

Em 15 minutos, depois da Av. Dorival Caymmi, Itapuã
Todos a bordo, e o motorista Reinaldo, acompanhado da cobradora Sônia, leva o carro. Procuro um lugar no fundo, lado esquerdo, o mesmo da praia, já que vamos contornar o desenho de Salvador. Pergunto a Sônia se ela sabe inglês. Com mais de 20 anos de casa, revela que foi cobradora nos antigos ônibus executivos da mesma linha e estudou até o básico do idioma. Sobre a viagem, informa que, geralmente, no horário em que estávamos, o ônibus encheria um pouco mas apenas na Barra, onde há mais turista.

Noto que o coletivo sai do aeroporto com uma cara estrangeira mas, à medida em que avançamos pelo itinerário, ganha um ar bem baiano, com rostos familiares, miscigenados, pessoas em direção ao trabalho que querem mais um pouco de conforto na viagem. Também noto que, à medida em que avançamos pelas praias, entram e saem do buzu pessoas com roupas de banho. Nada que vá lhe incomodar, turista!

Vamos seguindo pela Otávio Mangabeira olhando o mar
Voltemos ao que interessa. O ônibus passa por todas as praias da orla (Itapuã, Piatã, Corsário, Boca do Rio (Praia dos Artistas), Armação, Jardim de Alah e Jardim dos Namorados). Da Pituba em diante, o percurso segue pelas avenidas de dentro: Manoel Dias da Silva, com lojas, hotéis, agências bancárias e restaurantes, as de Amaralina e chega ao Rio Vermelho. Passamos pelo Largo da Mariquita, a praia onde Diogo Álvares Correia, o Caramuru veio dar após o naufrágio de 1510, e onde há o mercado (que vai ganhar post próprio mais adiante, assim como todo o bairro boêmio). Em seguida, o largo da igrejinha antiga, onde está o acarajé da Dinha (um dos 3 famosos, com Cira, em Itapuã, e Regina, também no Rio Vermelho) e, de novo, olha ele: o mar azul da Bahia!

À essa altura, já sentou-se ao meu lado uma turista conversadora e simpática. Canadense, português fluente, A. conta que veio participar do casamento de um amigo e dispara: "adoro essa cidade. É o lugar em que quero viver no mundo"! Não contesto. Gosto não se discute! Embora ela tenha afirmado que já conhecia Salvador de tempos atrás, vai perguntando o nome de cada praia, e quer chegar ao Rio Vermelho. Depois abre um livro em inglês, indica o autor e passa o restante da viagem lendo. Lá na frente, turistas estrangeiros olham a paisagem e não perdem um detalhe, como o mal cuidado Parque do Aeroclube, na Boca do Rio, que precisa urgente de reforma!

Do meu lado direito, um casal com uma criança, brinca, mostra a janela e aponta, ao chegarmos a Ondina: "daqui a pouco vamos ver as as gordinhas (N.R. obra da artista plástica Eliana Kertész). Você vai ver a mamãe fazendo pose", diz a mulher. Todos rimos.

As encantadoras gordinhas de Ondina
O ônibus nem chega a lotar. A cobradora Sônia conversa com uma colega sobre turistas que erram o ponto (a nossa amiga canadense foi uma delas) porque se distraem vendo a paisagem ou não prestam atenção à indicação que ela dá. Vira pra mim e diz, já na altura da Barra: não disse que aqui ia encher?" Sobem os moradores e turistas que estão saindo da praia e os demais arrumadinhos que vão ver o Centro Histórico.

Forte de Santa Maria, imagem de apresentação do blog

Já passamos pela Praia da Paciência (Rio Vermelho), de longe conseguimos ver a Igreja de Santana, a Casa do Peso e a praia onde acontece a Festa de Iemanjá (2 de fevereiro), o bairro de Ondina com seus hotéis, os camarotes do Carnaval sendo armados, e já estamos fazendo o percurso do Circuito Dodô (carnaval) em sentido inverso (Ondina-Barra). Porto da Barra e Ladeira, chegamos ao Corredor da Vitória onde há museus, espaços culturais, os grandes e modernos edifícios que tomaram o lugar de casarões antigos, e alguns poucos casarões dos anos áureos em que aquele era, com o bairro da Graça, o espaço mais elegante da cidade. Recomendo, para o turista que quer um passeio cultural, fazer o percurso a pé, visitando alguns museus, até o Campo Grande.

Campo Grande, início do circuito Osmar do carnaval
Chegamos ao Campo Grande! Já temos uma hora e 25 minutos de tempo de viagem, porque não pegamos engarrafamentos. Mais atrações: o teatro Castro Alves, a antiga sede do Clube Cruz Vermelha, que instituiu o desfile no carnaval de rua, em 1884 do século XIX. Entramos no Circuito Osmar, onde também já estão sendo montadas as estruturas do Carnaval. Há um grande hotel, o antigo Hotel da Bahia, em reforma, o Forte de São Pedro, Casa D'Itália no entroncamento com a Avenida Sete. Já aqui pode olhar para os dois lados que vai ver monumentos históricos como as igrejas das Mercês e do Rosário, passamos pela Praça da Piedade, Mosteiro de São Bento, Praça Castro Alves e a vista da Baía de Todos os Santos e, finalmente, o fim-de-linha.

Não, o ônibus não pára na Praça da Sé propriamente dita e, sim, em uma praça de retorno,localizada entre as ruas Chile e Ajuda. De lá, você segue a pé, pois já está no Centro Histórico de Salvador e há muito o que ver pelo caminho. Ou retorna pra o lugar de origem pois já conheceu meia Bahia gastando apenas R$ 3. Dica: leve um guia turístico na mão e vá conferindo as informações sobre cada praia ou atração do caminho pra passar o tempo. A viagem completa dura, em média, uma hora e meia, segundo a cobradora. Foi mais ou menos isso que eu constatei. Por isso, beba uma água de coco antes de embarcar. No aeroporto custa R$ 2,50 (coco inteiro). Em Itapuã e praias, R$ 2 (coco inteiro). No fim-de-linha, R$ 1 (copo).

Gostou?

#fui!

14 comentários:

Érika Marques disse...

Querida Silvia, encontrei seu blog através do Ricardo freire - Viaje na Viagem!! Estou adorando! :)

Aline Fonseca Matos disse...

Adorei o blog! Quer dizer que não existe mais a opção de ônibus executivo para quem vai do aeroporto para o centro? Vou para Salvador e tinha pensado em ir de ônibus até a Praça da Sé e dali seguir para o terminal marítimo do Mercado Modelo a pé. Vc acha viável essa opção? Ou é muito difícil? É minha primeira vez na Bahia, mas to achando muito caro gastar 100,00 de táxi p ir ao centro...
Obrigada!

silvianasci disse...

Preciso pesquisar se há o seletivo mas, desde já, adianto que para a Praça da Sé, do Aeroporto, este é o único que conheço. Sobre ir direto, saiba que você vai saltar no terminal da Rua Chile e andar até o Elevador Lacerda, descer e caminhar mais um pouco até o terminal marítimo. Com malas, acho que vai ser cansativo. Além disso, o centro da cidade requer cuidado com a segurança. Se for à noite, melhor, não. Pegue seu taxi que é mais seguro. Espero que aproveite bem a estadia na Bahia! Obrigada por ler o blog.

Gabi Sá disse...

Adorei o seu post, muitas dicas e informações.
Muito obrigado.

Catia Vicente disse...

Olá!
Estou adorando o seu blog. somos mochileiros portugueses e vamos passar o mês de Fevereiro 2015 a Salvador! Vamos chegar ao aeroporto tarde (20:50) e temos reserva no Pelourinho. Será que ainda tem este ónibus a circular a esta hora?

Monica Mega disse...

Alguém pode me informar se há ônibus frescão, com ar saindo do aeroporto para o bairro JD Armação?
De táxi sai muito caro.

silvianasci (SMNascimento) disse...

Para quem quer saber as linhas de ônibus para o Centro Histórico, saindo do aeroporto de Salvador, por favor dê uma olhada neste link. http://www.meubuzu.com.br/?crt=1&bi_rr=12&ri_rr=19&bv_rr=49&rv_rr=100
Um abraço e muito obrigada por ler o blog.

villela disse...

Nossa! Super explicativo!! Adorei o post!!
Apesar de ser de 2012, vai ser muito útil na minha viagem próximo mês. :D
Vou ficar em Itapoã, mas tiro um dia pra conhecer o centro histórico e vou de ônibus mesmo.
Pra retornar de lá (centro histórico), onde você pegou o "buzzu"?
Obrigada pelas dicas!

silvianasci (SMNascimento) disse...

Você pega o ônibus para voltar a Itapuã no mesmo local onde vai descer quando for visitar o Centro Histórico: no fim-de-linha, na Rua Chile. Um abraço. Muito obrigada por ler o blog.

villela disse...

Silvia, me desculpe! Mochileira de primeira viagem..kkk.. Vou ficar na av. Praia de Itapoan, que fica em Vilas do Atlântico. Mas deve ser o mesmo ônibus. Te toda forma, obrigada :)

silvianasci (SMNascimento) disse...

Olá. Vilas do Atlântico é um bairro praiano do município vizinho, Lauro de Freitas (colado a Salvador). Itapuã é outra praia. Confira seus mapas. Caso seja Vilas do Atlântico, este ônibus não vai até lá. Um abraço. Boa estadia.

zildinha praia disse...

Gostei do blog,mas gostaria de saber se é mais seguro ir de ônibus p armação ou de táxi?

Sansan disse...

Estou com meu marido em Salvador, no hotel StelaMaris e quero ir para o mercado modelo de onibus. Como posso fazer?

Sandra de Embu das Artes SP

20/05/2016

Silvianasci SMN disse...

Veja este ônibus http://salvadoremumdia.blogspot.com.br/2014/12/onibus-especial-leva-turistas-do.html ou pode usar os serviços do Salvador Bus. Quanto às linhas de ônibus convencionais, veja estas http://www.meubuzu.com.br/?crt=1&bi_rr=3&ri_rr=8&bv_rr=29&rv_rr=59